Notícias

Desembargador Cid Goulart Júnior assume a presidência do TRE-SC

single-image

Em sessão extraordinária realizada ontem, 25/4, o desembargador Ricardo Roesler abdicou do cargo de juiz e presidente do Tribunal Regional Eleitoral – TRE-SC. Em seguida, ele empossou o desembargador Cid Goulart Júnior, então vice-presidente e corregedor regional eleitoral. Na despedida, Roesler afirmou ter sentimentos antagônicos. “De satisfação, alegria e gratidão por poder ter dividido os trabalhos com tão dignificantes e competentes servidores, e de tristeza por ter que me separar, pelo menos fisicamente, do convívio diário de todos vocês, a quem aprendi a admirar pela dedicação, empenho e competência na causa da Justiça Eleitoral”.

Combate às fake news

O juiz eleitoral Vitoraldo Bridi despediu-se de Roesler em nome da Corte e destacou ações realizadas, em especial as Eleições de 2018. Bridi apresentou os números como o envolvimento de 6.700 pessoas no trabalho, sem esquecer a importância do reconhecimento dos resultados. Neste ponto, falou sobre o acerto da ação do ex-presidente na criação do Comitê Permanente de Internet – para combater as fake news – e do Comitê de Segurança das Eleições. “Eles comprovaram a segurança registrada dos resultados das eleições, em detrimento às campanhas que buscaram denegrir a Justiça Eleitoral”, ponderou o juiz.

Este trabalho envolveu também a Associação dos Magistrados Catarinenses – AMC, na qual Bridi ocupa a 1ª vice-presidência, com campanhas voltadas à conscientização dos eleitores.

Assista aqui: Juízes eleitorais alertam para fake news sobre as urnas eletrônicas 

 

Ao assumir, o desembargador Cid afirmou que dará continuidade aos projetos em andamento, como a gestão por competência, o Planejamento das eleições de 2020, a implantação da Biometria – que tem a meta de atingir a 95% do eleitorado – e o Projeto Judicial Eletrônico no TRE. O magistrado também falou da preocupação dos “tempos difíceis vividos pelo Judiciário Brasileiro”. Para ele, “é dever permanente de todo o Judiciário e dos operadores do direito guindar o Judiciário às expectativas da população brasileira”.

Para saber mais: Relatório da Presidência do TRE-SC 2018/2019

 

*imagens: Assessoria de Comunicação Social do TRE-SC

Leia também