Notícias

Em palestra, ministro Moro defende ações de combate à corrupção e organizações criminosas

single-image

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, defendeu ações de combate à corrupção e às organizações criminosas. A manifestação aconteceu durante palestra promovida pela Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT, na manhã de hoje (30/9), no Auditório do Tribunal de Justiça de Santa Catarina – TJSC. O evento faz parte da programação Momento Brasil, que busca debater com autoridades nacionais temas voltados à política e economia, além de divulgar os conceitos da mídia regional.

Moro adiantou que, na próxima quinta-feira (3/9), será lançada a campanha publicitária com destaque para os pontos mais importantes das medidas de combate à criminalidade e corrupção, o chamado “Pacote Anticrime”. O ministro apontou a corrupção, o crime organizado e a criminalidade violenta como graves problemas do país e anunciou medidas implantadas para combatê-los.

O primeiro desses pontos foi uma ação de proteção das fronteiras que resultou na apreensão de 67 toneladas de cocaína neste ano. Esta quantidade corresponde a quase o dobro do que foi apreendido no ano de 2018. Neste ponto, o ministro enfatizou a necessidade o investimento em inteligência e levantamento de dados. Desde março deste ano, o Ministério tem feito levantamento de números e estatísticas oficiais para elaboração de indicadores criminais. Para isso, Moro aposta na troca de informações, dados e comando de operações entre a Polícia Federal e Forças Armadas com as Polícias Militares e Civis nos Estados.

Redução de homicídios e feminicídios

A meta, segundo o ministro, é reduzir o número de homicídios e feminicídios no país. “60 mil homicídios por ano não é um número normal e aceitável. Não podemos ter política de convivência pacífica com essas grandes organizações criminosas”, frisou Moro.  Quanto ao combate à corrupção, Moro fez um relato sobre a Operação Lava Jato e garantiu ter sido um trabalho difícil. “Temos que reconhecer que temos uma tradição da impunidade e da grande corrupção. Com suas virtudes e seus eventuais erros, ela mudou esse padrão”.

O evento foi conduzido pelo presidente da ACAERT, Marcello Corrêa Petrelli, e pelo presidente do TJSC, desembargador Rodrigo Collaço. A presidente da Associação dos Magistrados, juíza Jussara Wandscheer, acompanhou a palestra, que foi prestigiada pelos desembargadores do TJSC, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e presidentes de organizações do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina – COFEM.

Ao avaliar o momento, Petrelli destacou a polarização pela falta de moderação das redes sociais e agravada pela proteção do anonimato, favorecendo o ambiente das fake news. “Não podemos permitir que a nossa habilidade de conviver com as diferenças seja substituída pelo discurso de ódio”, afirmou. “Devemos incentivar o respeito ao próximo e a tolerância. E a Mídia Regional sempre foi catalizadora desses valores”.

Fotos – Sandra de Araujo/Comunicação/AMC