Notícias

Desembargadores Jaime Ramos e Fernando Carioni assumirão presidência e vice-presidência do TRE

single-image

O desembargador Jaime Ramos foi eleito, por unanimidade, o novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina – TRE/SC no período de 2020/2021, em votação realizada na sessão do Pleno desta quarta-feira (11). A Vice-presidência e a Corregedoria serão assumidos pelo desembargador Fernando Carioni. Ele foi eleito no período da manhã para o cargo de juiz efetivo, categoria Desembargador do TRE/SC, pelo Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Ele assumirá no lugar do desembargador Cid Goulart, que encerrará em março de 2020 seu mandato.

Em manifestação, o presidente eleito disse receber com alegria o resultado. “Quero agradecer a todos os juízes da Corte e também ao desembargador Carioni. Nós poderemos contribuir para que o processo democrático das eleições seja o mais transparente, completo, célere, cuidadoso e justo e para que esse Tribunal continue a ter o reconhecimento do TSE e de toda a comunidade política e jurídica de nosso estado”, afirmou Jaime Ramos.

Currículos

Desembargador Jaime Ramos

Natural de Lages/SC é formado em Direito pela UFSC. Ingressou na magistratura catarinense em 1981 e atuou nas comarcas de Taió, Canoinhas, Lages, Joinville e Rio do Sul. Foi juiz eleitoral nas comarcas de Taió, Canoinhas, Joinville e Rio do Sul. Em 2007 tomou posse como desembargador no TJSC. Foi terceiro vice-presidente do Tribunal de Justiça no biênio 2016-2018. No TRE-SC foi diretor da Escola Judiciária Eleitoral de Santa Catarina em 2017. Além disso, foi eleito pelo Tribunal, na categoria de desembargador, como juiz eleitoral substituto em 2018, e como juiz eleitoral titular para o biênio 2020/2021. Atualmente é vice-presidente e corregedor regional eleitoral do TRE/SC.

Desembargador Fernando Carioni

Natural de Florianópolis, Fernando Carioni é formado em Direito pela UFSC. De 1981 até 2002 exerceu a advocacia e atividades relacionadas com a área jurídica. Na OAB/SC foi membro efetivo da Comissão de Direitos Humanos, conselheiro estadual e eleito presidente da entidade com mandato de 1995 a 1997. Ocupou o cargo de conselheiro federal da OAB, foi presidente da entidade e membro efetivo da Comissão Nacional de Direitos Humanos. Integrou o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, como juiz substituto, no biênio de 1996 até 1998. Em 2002 foi nomeado desembargador do TJSC, em vaga destinada ao quinto constitucional.