Untitled Document
   
conheca ent-judiciario associados esmesc sala-imprensa
Câmara de Vereadores de SP homenageia COPEDEM
26/02/2018 - 16:02:31   No. Acessos: 167

A Câmara de Vereadores da cidade de São Paulo promoveu, no último dia 23, a Sessão Solene de entrega da Salva de Prata – a mais alta honraria do Parlamento da cidade de São Paulo - outorgada ao Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (COPEDEM). A iniciativa de entrega da referida comenda foi do vereador Caio Miranda Carneiro.

Na oportunidade, a Câmara de Vereadores da capital paulista homenageou os diretores da Escola Superior da Magistratura do Estado de Santa Catarina (ESMESC) e da Academia Judicial do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ/SC), Juiz Cláudio Eduardo Regis de Figueiredo e Silva, Jaime Ramos e Luiz Cézar Medeiros. Eles foram representados na solenidade pela assessora de eventos da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), Andrea da Silva, que também foi homenageada pelos relevantes serviços prestados na realização dos encontros do COPEDEM, destinado à formação dos magistrados brasileiros.

In memorian

A Sessão Solene com que a Câmara Municipal de São Paulo homenageou na sexta-feira, 23, o Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura e 81 dirigentes em todos os estados e Distrito Federal foi perpassada pela memória emocionada de um ícone da categoria recentemente falecido, o desembargador Antonio Rulli Júnior.

O autor da homenagem, vereador Caio Carneiro, posicionou-se em relação ao momento do país. “Se hoje até a magistratura sofre ataques, é porque a sociedade quer mudança”, constatou. “E se há uma carreira que está ajudando o Brasil, juntamente com os advogados, é a magistratura – para conseguir fazer as mudanças sem rupturas, sem interromper a democracia.”

O presidente do COPEDEM, do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE/TO) e da Escola Superior da Magistratura local (ESM/TO), Marco Anthony Steveson Villas Boas, frisou o “sentimento de progresso” que norteava Rulli. “A partir de São Paulo ele pensava a disseminação deste saber – a ponto de a certa altura ele dizer que ‘não há mais escolas com baixa qualidade, está cada uma melhor do que a outra.”