Notícias

Magistrados catarinenses tem melhor índice de produtividade do sul do país

single-image

A produção de sentenças pelos Juízes de 1º grau em Santa Catarina cresceu 11% e a produtividade dos Desembargadores aumentou 20% em 2021, em comparação com o ano passado. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e colocam a magistratura catarinense como a mais produtiva do sul do país.

Para o presidente da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), Juiz Marcelo Pizolati, a alta produtividade catarinense representa o compromisso dos Juízes, Desembargadores e servidores em  manter a qualidade do serviço prestado à população: “Apesar de estarmos vivendo uma situação adversa e completamente nova, imposta pela pandemia, mantivemos o trabalho de excelência que caracteriza a nossa Magistratura”, argumenta Pizolati.

Com o implemento dos atendimentos online desde o início da pandemia, todos os novos processos que chegam à Justiça catarinense são 100% digitais e mais de 210 mil audiências foram realizadas remotamente durante a pandemia. Desta forma, o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC), conseguiu uma redução de 30% no custo anual.

No relatório de produtividade enviado pelo TJSC ao CNJ, o presidente, Desembargador Ricardo Roesler, apontou que mesmo em tempos adversos, o Judiciário catarinense conseguiu modernizar o atendimento à população. “A tecnologia permite que sejamos mais eficientes e mais econômicos, mais próximos e até mais solidários. Encurtamos o tempo, e a expressão “distância” já não passa de um substantivo, agora relativo e vinculado a uma era passada, analógica e anacrônica”, destacou.

Confira os dados da produtividade do PJSC em 2021:

| Sentenças e acórdãos 1.445 milhão
| Decisões 2.172 milhões
| Movimentos processuais 101 milhões 
| Despachos 3.364 milhões